Notícias / Legislação
VOLTAR

As mais vistas no Jacaré

Show de rock

Jacaremoto Rock Festival 2015


CBM e motociclistas na Câmara dos Deputados


Nova 150 Start

Nova CG 150 Start básica de R$ 6.350, acaba com a linha CG 125


Ver Todos

Audiência Pública em BH - Lei da placa no capacete

27/10 - Motociclistas lotaram a Audiência Pública conseguida pelo Cabo Júlio


27/10/2011


O projeto de lei de BH, de nº 1718-11, que determina pintar o número da placa da moto no capacete causou indignação e revolta nos motociclistas de motoclubes e entre os motoboys também. O Projeto de Lei é discriminatório, visando mais segurança em detrimento das liberdades individuais dos motociclistas. Se o Governo não consegue garantir a segurança, com a colocação de mais policiais nas ruas e uma justiça eficiente, os motociclistas não podem pagar por isso. Além do mais essa lei, na prática, não trará mais segurança, pois o bandido não se importa com nada e apenas os motociclistas honestos teriam problemas ao terem motos e capacetes furtados.
Assim, a Federação Mineira de Motoclubes, a AMOT-MG e a APROBEM, solicitaram ao vereador Cabo Júlio, que realizasse uma Audiência Pública na CMBH o que, mesmo com alguns vereadores contra, foi conseguido para o dia 27/10.

auditexto85
Mesa da Audiência Pública, da esq. para direita: Donizete (Sindimoto), Cristiano Lanza (FMMC eAprobem), Humberto (BHTrans), ZC Jacaré (FMMC e AMOT-MG), Vereador Cabo Júlio (centro), Rogério Assis do Nômades MC (encoberto), Fábio Pinheiro (Câmara das Duas Rodas do CDL) e Josafá (CBTA)

Desta forma, convocados os motociclistas, foi realizada a Audiência Pública com a participação de motociclistas de todas as vertentes: motoclubes, de trabalho e usuários comuns.
Estiveram presentes também as seguintes entidades de classe, com seus representantes que compuseram a mesa com o vereador Cabo Júlio:
Federação Mineira de Motoclubes e APROBEM (Cristiano Lanza - diretor e presidente), Federação Mineira de Motoclubes (ZC Jacaré - presidente) e Associação de Motociclistas trabalhadores de MG - AMOT-MG (ZC Jacaré - presidente), Câmara Setorial das Duas Rodas do CDL-BH, (Fábio Pinheiro - coordenador), Cooperativa Brasileira de Trabalhadores Autônomos - CBTA (Josafá Fernandes - presidente), Sindicato dos Mototaxistas e Motofretistas Autônomos de Minas Gerais (Donizete Antônio - presidente) e BHTrans (Sr. Humberto).

Todos os presentes foram veementes em sua reprovação e repúdio à lei do capacete com placa, apresentado pelo vereador Paulinho Motorista. Os representantes dos motociclistas que compuseram a mesa e o representante da BHTrans também foram radicalmente contra essa lei sem sentido.

Na oportunidade, também estava na pauta da Audiência a instalação de motovias (também todos contra) e a implantação de mais estacionamentos de motos no Centro, pelo vereador Leonardo Mattos (Projeto de Lei 1758/11), que foi aplaudido pelos motociclistas e cobrado do representante da BHTrans urgência na implantação de mais vagas uma vez que, independente de lei para tal, o órgão de trânsito municipal tem autonomia para criar mais vagas de motos, no Centro de BH, com a urgência que a situação exige.

Projetos que o Cabo Júlio pode apresentar

Durante os comentários foram sugeridos várias ações e oferecidas as soluções para serem implantados os estacionamentos. Como o Josafá, da CBTA, sugeriu, se utilizarem apenas as sobras dos Rotativos, em cada quarteirão, já seriam centenas de novas vagas para motos. O Cristiano Lanza, da FMMC e da aprobem, pediu ao vereador Cabo Júlio que propusesse uma lei que, ao se construir novos edifícios fossem reservadas vagas específicas para motos ao que o vereador disse que passaria o antiprojeto para nossa apreciação. O presidente da FMMC e da AMOT-MG, ao final das considerações, afirmou que o problema de falta de local de estacionar moto em BH é gravíssimo e que pode estourar uma manifestação dos motoboys contra o prefeito de BH, Márcio Lacerda,  que, em três anos, nada fez para os motociclistas.
O vereador e o representante da BHTrans ficaram de marcar reunião com a diretoria da BHTrans para discutir solução imediata para o caso.

Projeto da placa no capacete não deve ser aprovado

Ao final, pela atitude contrária à lei (1718-11) da placa no capacete, dificilmente ela será aprovado pelos outros vereadores depois que forem informados do teor da Audiência Publica e da opinião do motociclistas.
Desta forma, os motociclistas, que lotaram o auditório mostraram sua força e união, exercendo sua cidadania a favor da classe.
  Jacaremoto.com.br


Notícias RELACIONADAS


Jacaremoto
Facebook Jacaremoto Twitter Jacaremoto

É permitida a reproduçao de qualquer matéria deste site, em qualquer meio de comunicação, com a prévia autorizaçao do Jacaremoto, e com a referência de onde foi extraído o texto, ou seja, o site jacaremoto.com.br. As matérias assinadas sao de responsabilidade de seus autores.
© Desde 1999. jacaremoto.com.br. Todos os direitos reservados.